• Home
  • >
  • Notícias
  • >
  • No dia 27 de outubro foi a vez do candidato Luiz Henrique, do PRTB, passar pela sabatina da ACIMM.

No dia 27 de outubro foi a vez do candidato Luiz Henrique, do PRTB, passar pela sabatina da ACIMM.

No dia 27 de outubro foi a vez do candidato Luiz Henrique, do PRTB, passar pela sabatina da ACIMM. Dentre suas propostas, destacou a revisão de tributos comerciais e estar ao lado do comerciante, melhorar a infraestrutura da cidade e preparar um estudo para analisar qual caminho tomar em termos econômicos para Mog Mirim. Para a segurança, propõe monitoramento por câmeras em todos os pontos estratégicos da cidade. No turismo, uma de suas bandeiras é a retomada das festas tradicionais e, para o desenvolvimento da cidade, soltar as amarras que travam a cidade.

COMÉRCIO

Para Luiz Henrique, o comércio, mais do que a mola propulsora da economia, é o seu termômetro. Sem o comércio forte e pujante, as empresas não produzem, não contratam. Se o comércio não faz o escoamento dos produtos, não há emprego. Vê o comércio como importantíssimo. Seu plano de governo é pautado em 6 pilares. O terceiro deles trata da economia desenvolvimentista. Em uma cidade com um grupo de idosos bastante acentuado, pretende fazer uma administração ao estilo JK: 40 anos em 4. Sente que a cidade está amarrada, e pretende criar políticas públicas com empresas e a ACIMM para destravar a cidade. O que irá orientar seu projeto será a ousadia e a coragem para fazer diferente. A primeira coisa que tem para o comércio será instituir uma ampla regovação: eliminar todas as normas, decretos e portarias que travam a cidade. Irá rever o IPTU comercial, a taxa de água – que considera um absurdo o que é cobrado por metro cúbico. Salienta que preciso cuidar dos comerciantes, visto que, além da crise que se abateu devido à pandemia, eles sofreram grandes traumas psicológicos. Em seu governo todo, o que mais vai fazer pelo comércio é estar ao lado do comerciante.

INDÚSTRIA

Para o candidato, a indústria precisa de alguns fatores para que uma cidade tenha atração: localização (Mogi Mirim está localizada em um entroncamento entre as principais cidades – São Paulo, Campinas e Sul de Minas). É um polo econômico fortíssimo que não está sendo explorado, e que em seu governo irá explorar. Mogi Mirim sempre esteve na vanguarda, liderando o comércio regional. Luiz Henrique aponta que, primeiramente, é necessário pensar em infraestrutura. Em seu governo, irá cuidar de forma digna do aeroporto da cidade, visto ser este o portão de entrada para os investimentos, para os empresários. Tem por proposta reestruturar os parques industriais de Mogi Mirim, preparar estudos para saber qual caminho tomar para nossa economia, qual modelo econômico adotar: de serviços, polos tecnológicos, metalurgia, agronegócio. Para isso, quer contar com o apoio da Associação Comercial e das entidades de classe para desenhar este plano de desenvolvimento da cidade. Para atrair indústrias, além de oferecer todos os benefícios territoriais, menciona que é preciso oferecer os benefícios sociais (incentivos fiscais, reduzir o ISS para atrair num primeiro momento, emprego). Enfatiza que não vai criar emprego para quem é de fora, e que é importante estar alicerçado em estudos de viabilidade técnica e econômica. Além destes cuidados, a principal medida que vai atender a toda a economia da cidade. Se eleito, declara que vai acabar com o pedágio de Mogi Mirim, trazer empresas sem cobrar pedágio. Criará um departamento de compliance, para fiscalização de todos os órgãos da prefeitura. Declara que a cidade irá entrar em um novo tempo.

SEGURANÇA

Conforme suas palavras, este tema é sua área, pois vem do segmento de serviços na segurança. Já realizou muitas obras nas cidades, implantando monitoramento. Para o candidato, por Mogi Mirim estar em um entroncamento, com muitas entradas e saídas, irá rever o plano de iluminação pública. Primeira coisa, segundo ele, é clarear a cidade, que está escura, e tem por proposta melhorar isso. Cita, por exemplo: imagem por câmeras em todos os pontos estratégicos da cidade. Menciona uma entrada na rodoviária que não está vigiada, e trevos da cidade ligados diretamente à SP 340 que não estão monitorados. Para Luiz Henrique, o centro da cidade precisa ser revitalizado através da segurança, e uma de suas propostas é criar uma central de monitoramento online, interligada com a guarda civil. O segundo plano, como visualiza que a cidade não terá o efetivo de maneira urgente para fazer o policiamento, pretende, sinaliza que ainda assim é possível colocar de 8 a 12 policiais fazendo uma operação a pé ou uma operação de bicicleta, visto que o equipamento custa barato para o governo. Uma das primeiras medidas que irá tomar, se eleito, é reestruturar a Guarda Civil Municipal, implantar um posto da GCM – móvel ou não – na praça Rui Barbosa. Para ele, com segurança, mais usuários vão ao centro e, consequentemente, este fato gera mais riqueza, venda, postos de trabalho, impostos para a prefeitura, em um efeito cascata. Aponta também ser possível fazer ronda com 4 policiais nos corredores comerciais, importantíssimos na cidade.

TURISMO

Para Luiz Henrique, Mogi Mirim tem ar bucólico, tranquilidade, qualidade de vida, um dos índices de desenvolvimento humano mais altos do nosso país. Para isso, observa que é preciso fazer valer o título de Cidade Simpatia. Se eleito, menciona criar o centro de eventos multiuso, com uma arena de eventos que estimule a procura pela cidade, atraindo feiras e eventos corporativos, e preenchendo lacunas na programação cultural econômica de Mogi Mirim, no Espaço Cidadão. Um de seus compromissos de campanha é colocar uma cobertura no Espaço Cidadão, sem mexer com a feira que está lá. Alerta para sua preocupação com o 2º setor, com os artesãos, com os pequenos produtores, com os artistas terem espaço para escoar seus produtos. Irá também, como medida, reestruturar a Secretaria de Turismo da cidade, aparelhá-la, em vista ao foco de turismo de negócios. Para o candidato, a rede hoteleira precisa ser ampliada. Propõe, além de voltar com as festas tradicionais, retomar o carnaval, tão importante para a cultura e geração de renda e turismo na cidade, fazer os eventos das festas tradicionais, e implantar o show da virada, no final do ano, para ajudar na economia e no turismo em Mogi Mirim. Tudo isso com sustentabilidade e qualidade. Enfatiza atenção especial ao agronegócio. Também tem como proposta um restaurante popular para o centro, o qual adquira frutas e verduras das cooperativas dos produtores rurais. O objetivo é de, além de ajudar os comerciários, colaborar com a economia da pequena agricultura.

DESENVOLVIMENTO

O candidato inicia este tópico destacando que o nome de seu programa de governo é “Destrava Mogi”. Para ele, a cidade precisa ser destravada, uma vez que ela parou no tempo. Para destravar, Luiz Henrique aponta que é preciso serem tomadas algumas ações na economia. Na criação deste programa, a finalidade objetiva foi soltar as amarras do desenvolvimento econômico da cidade, sanar os gargalos burocráticos, e tirar o peso em termos locais do comerciante: revogando leis, normas, burocracias que emperram o desenvolvimento. Como prefeito será um negociador, um desenvolvimentista, um empreendedor. Cita fazer um programa para os jovens, cortar dos cargos comissionados todos quantos forem possíveis. Salienta que irá gerar mil vagas de emprego: 500 vagas para os jovens de 16 a 25 anos no programa Pró-jovem, e outras 500 vagas para o pessoal de 26 a 65 anos, em frentes de trabalho municipais. Para isto, o investimento será de R$3 milhões (para pagamento de 1 salário mínimo, cesta básica e um curso de capacitação destes jovens).

A pergunta surpresa da noite foi: “O que você pretende fazer para salvar o Mogi Mirim Esporte Clube?”. Em sua resposta, Luiz Henrique conta que, quando chegou ao clube, esteve como empresário, investidor do ramo do futebol. Assumiu com seu sócio um clube com R$11,9 milhões em dívida, tendo que pagar 300 mil mensais. Mencionou que está buscando um investimento privado, e que tem alguns parceiros investidores. Sua proposta é criar um shopping a ser construído na área ao lado do estádio, como um Mall. Com este shopping, o objetivo é criar receita para o clube ser autossustentável.

Compartilhe esta publicação

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Inscreva-se em nossa newsleter

e receba por e-mail conteúdos sobre empreendedorismo

Veja também

Fique atento!

Fique atento! Nos dias 15 e 16 de fevereiro os bancos não terão expediente, e só voltarão a atender na quarta-feira, dia 17, após às

Veja mais