• Home
  • >
  • Notícias
  • >
  • Uso de espaço público: comerciantes aguardam chegada de lei à Câmara

Uso de espaço público: comerciantes aguardam chegada de lei à Câmara

O tão sonhado uso dos passeios e espaços públicos por bares e similares reuniu cerca de 40 proprietários de estabelecimentos destes segmentos na Associação Comercial e Industrial de Mogi Mirim (ACIMM) na última segunda-feira, 27. A discussão havia sido iniciada anos atrás, e teve a ACIMM como provocadora de tal uso. Na atual administração da instituição, o tema vem sendo discutido e agora ganhou corpo, e a Prefeitura quis ouvir os comerciantes destes setores.

Durante a reunião, o Poder Público solicitou aos participantes para que encaminhassem todas as sugestões por e-mail. Isso foi considerado um avanço, pois, até então, o Poder Público sempre esteve reticente nesta possibilidade. O uso do passeio é muito comum no exterior e em regiões do Brasil, e é considerado uma ferramenta importante para atrair o público da região.

Para o Diretor da ACIMM Gilberto Teixeira, que é proprietário da Tequilaria São Paulo Grill, a discussão é da mais alta relevância. A aprovação de um projeto desta natureza é essencial para que o turismo possa se desenvolver na cidade. “Não há como desenvolver o turismo gastronômico sem a atualização de algumas leis antigas e ultrapassadas”, disse.

O comerciante lembra que a população de Mogi Mirim terá de escolher se quer evoluir e ver o Município crescer, ou ficar parada no tempo. Ele acredita numa grande evolução, caso a lei seja aprovada, já que em todas as cidades onde isso foi adotado o resultado positivo foi latente e o retorno financeiro também. “A utilização de espaços públicos para grandes eventos e comércios fixos já é uma realidade em muitos locais do país”, recordou.

Teixeira destacou, ainda, que a vontade dos comerciantes não visa oferecer obstáculo à lei de acessibilidade, e acredita que o Legislativo mogimiriano terá o bom senso de analisar cuidadosamente a peça, que ainda não chegou à Câmara Municipal. “A aprovação de uma lei como esta significa, para muitos estabelecimentos da cidade, uma questão de vida ou morte”, enfatizou.
Já o Presidente da ACIMM, José Luiz Ferreira, revela que será muito importante para o setor gastronômico a ampliação do seu atendimento. Entre os benefícios da aprovação da lei, estão fatores como aumento de receita e o reconhecimento de Mogi Mirim como uma cidade voltada a receber o turista do setor gastronômico. Ferreira lembra que isso implicará numa maior absorção da mão de obra, o que alavancará a economia.

Atento às questões da acessibilidade, o representante da ACIMM recorda que tal utilização poderá ser realizada mediante dia, hora e local preestabelecidos. “É possível que os comerciantes possam utilizar espaços públicos de forma responsável e consciente tais logradouros”, observou.

Segundo ele, as famílias voltarão a ocupar as praças, e isso afastará as pessoas que utilizam estes locais com outros objetivos. Na mesma linha de pensamento, o comerciante destaca que o uso de passeios públicos precisa ser bem estudado, já que cada calçada tem uma peculiaridade. De modo geral, ele acredita que é possível conjugar todas as situações e beneficiar a cidade.

MANUTENÇÃO

Durante a discussão com o Poder Público, foi solicitada à Municipalidade mais cuidado com a questão do lixo no setor comercial, bem como a segurança durante a madrugada, para coibir a incidência de furto, assalto e vandalismo.

Compartilhe esta publicação

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Inscreva-se em nossa newsleter

e receba por e-mail conteúdos sobre empreendedorismo

Veja também

Nota de Pesar

O sócio da Indústria Elétrica Marangoni Maretti Ltda. e Diretor da ACIMM, Celso Semeghini, faleceu na manhã desta quarta-feira, 13. Empresário dinâmico, ele marcou época

Veja mais