Entrevista com Ricardo Brandão

O ex-prefeito Ricardo Brandão foi o entrevistado da Associação Comercial e Industrial de Mogi Mirim do dia 30 de outubro. Ele é candidato pelo Podemos e esteve falando do seu plano de trabalho. O empresário forneceu dicas daquilo que poderá fazer nas áreas destacadas pela direção da ACIMM. Salientou o dinamismo da entidade em ouvir os candidatos ao cargo majoritário e, com isso, oferecer à população informações que  facilitarão a escolha do próximo governante de Mogi Mirim.

COMÉRCIO

O candidato Ricardo Brandão lembra que o emprego é primordial para que o comércio seja alavancado. Revelou que, em Mogi Mirim, o índice de desempregados é de 30%. Por isso, ele defende que a construção civil deve ser incentivada como forma de absorver a mão de obra. A palavra de ordem será gerar empregos. Para tal, ele terá de atrair empreendedores do setor, já que nos últimos anos isso não houve incentivo. Tudo que envolve a construção engloba inúmeros profissionais. “Isso fará a roda girar”, enfatizou. Destacou ainda que Mogi Mirim é o epicentro regional e, dada a sua localização, fica fácil atrair os visitantes e movimentar lojas, restaurantes e afins. Ele lamenta pelos pequenos comerciantes, mas revela que, em sua administração, dará uma carência para quem montar seu negócio, inclusive tarifa de água e esgoto. “No meu governo irei investir, e muito, para fomentar o comércio”.

INDÚSTRIA

O representante do Podemos garante que as indústrias caminham com as próprias pernas. Lembrou que a Marangoni, organização de sua família, também demitiu, e que as empresas precisam dos governos federal e estadual. Mesmo assim, quando elas se instalam em uma cidade, elas necessitam de ajuda do município. Isso elas terão em seu governo. Destacou ainda a falta de mão de obra qualificada. “Olhando para a qualificação da mão de obra, estaremos olhando para o jovem e pela manutenção destes no município”.  Hoje, Mogi Mirim só oferece a mão de obra barata. Por isso, defende o fortalecimento da pequena indústria, que irá absorver a mão de obra local. A cidade poderá se beneficiar com a vinda de empresas de grande porte, mas a população, de modo geral, não usufruirá disso, pois com a tecnologia a linha de produção é robotizada.

SEGURANÇA

Como prefeito, Ricardo Brandão pretende priorizar a segurança. Só irá melhorar consideravelmente se for utilizada a tecnologia que há à disposição no mundo. Por isso, a fiscalização por meio de câmeras em todos os locais terá lugar garantido, e monitorada por profissionais do setor, não por guardas municipais, como ocorre hoje. Falou de experiências que teve em cidades da região e quer trazer para cá o sistema. Mencionou a muralha digital, entre outros dispositivos, que poderão aumentar a sensação de segurança do município e afastar os meliantes. “Isso inibe que os marginais venham para Mogi Mirim”. Lembrou o bom trabalho da Guarda Municipal e revelou a criação da GCM, em 1980, durante seu governo. Anunciou também a criação de um Centro de Inteligência para trabalhar e coibir a marginalidade, caso vença as eleições.

TURISMO

Na área do turismo, o candidato garante que há muita coisa boa a fazer, principalmente se unir o setor gastronômico ao turismo pedagógico. Citou o teatro de arena, que também foi construído em seu governo, e que poderá receber eventos memoráveis no futuro. Quando o local sediava eventos de grande porte, todo o comércio local ganhava dinheiro. A criação de uma agenda de cultura de turismo poderá auxiliar a fortalecer o comércio. As áreas estão intimamente ligadas e o sucesso de um refletirá diretamente no sucesso do outro. Para isso, necessita ter vontade. Citou a Voçoroca, o zoológico, o horto florestal, dentre outros pontos.

DESENVOLVIMENTO

O fundamental do jovem é ter motivação do governo para ajudar a conquistar uma profissão. Geração de emprego é fundamental. É preciso que ele se fixe aqui, mas isso demanda políticas municipais. O lazer também faz parte para manter a juventude na cidade. “O cartão de visita, que é a Praça Rui Barbosa, está abandonado. É preciso revitalizar a praça para ser um ponto de encontro para os jovens”, destacou. Também pregou a vinda de uma arena do game, como forma de atrair os jovens, bem como criar espaços para abrigar start-ups no município. Seu objetivo é que a juventude se forme e fique na cidade, evitando que a Mogi Mirim se torne uma cidade dormitório, como já acontece. Parcerias com empresas locais, e com o respaldo da Câmara, será fundamental. “Nós temos de auxiliar a garotada”, apontou.

 

PERGUNTA SURPRESA

(Proposta para o aeroporto da cidade) – Disse que já se reuniu com pessoas do meio e revelou que o problema é mais político que propriamente de investimentos. Cercar o aeroporto é a única coisa que a prefeitura precisa fazer no local logo no começo de seu governo. Destacou que o ponto é estratégico, e que o aeroporto poderá atender a toda a região, dada a dimensão da pista. Por isso, irá regularizar e fazer aquilo que for possível nas esferas estadual e federal para que a cidade seja alavancada. O trabalho será realizado já no primeiro ano de seu possível governo mediante os cortes orçamentários que promoverá.

Compartilhe esta publicação

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Inscreva-se em nossa newsleter

e receba por e-mail conteúdos sobre empreendedorismo

Veja também

Fique atento!

Fique atento! Nos dias 15 e 16 de fevereiro os bancos não terão expediente, e só voltarão a atender na quarta-feira, dia 17, após às

Veja mais